Fox Crime

Sou adepto das séries da Fox Crime. É quase só o que vejo em televisão. Por um lado, gosto de séries genericamente designadas por policiais (ou thrillers como preferem os americanos, englobando no termo séries de espionagem). De algumas dessas séries produzidas no Reino Unido ou na Austrália, destaco pelo excelente trabalho dos actores, sobretudo aquele que encarna a personagem principal, Endeavour (o Morse em jovem); George Gently, o inspector-chefe duro e impoluto; e agora o Comissário Maigret baseado na obra homónima de Georges Simenon. Quem viu os filmes de Mr. Bean (comédia com o nonsense britânico) interpretada pelo conhecido e reconhecido Rowan Atkinson, ficará surpreendido por ser ele o intérprete da personagem Maigret, nos antípodes de Mr. Bean. Só um actor de elevado talento conseguiria assumir aquele papel como Atkinson o faz. Li toda a série do Comissário Maigret publicada pela Bertrand décadas atrás. Ao assistir a este Maigret televisivo senti-me reconduzido ao ambiente e à personagem criada por Simenon. Os outros actores têm, também eles, uma elevada prestação profissional, num ambiente de época recriado com mérito.

As gajas estão na moda

As gajas estão na moda, como os SUV.
Há uma série policial no canal FOX Crime, intitulada Scott & Bailey, em que as mulheres são as estrelas da companhia. Do topo à base. Desde a Sub-Directora da Polícia de Manchester passando pela Superintendente, a Inspectora-Chefe, a Sargento Scott e a inspectora Bailey. Todas muito inteligentes, desinibidas, capazes. Fazem tudo certo, mesmo quando só fazem asneiras. Bebem vinho tinto, embebedam-se até perderem a consciência. Os homens são todos secundários, amorfos, salvo um Sargento discreto e eficaz, mas apaixonado pela Scott, que, entretanto, foi corrido pela Inspectora-Chefe.
Não é o grande triunfo dos porcos. Mas é o grande triunfo das gajas. E o que dizem os gajos? NADA. Por acaso a série foi escrita por duas gajas.
Parabéns à prima.