Livros Lidos

António Garcia Barreto lê “A Malta da Rua dos Plátanos”

Várias vezes premiado e com vasta obra publicada desde os anos 70, António Garcia Barreto deixa aqui uma parcela do seu romance “A Malta da Rua dos Plátanos”.

Nascido na Amadora a 15 de dezembro de 1948, António Garcia Barreto iria licenciar-se em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, mas seguiu o destino de muitos da sua geração e esteve na Guerra Colonial em Moçambique. Regressado a Lisboa, passou por diversos papéis em diferentes empresas (funcionário de livraria, técnico de organização e métodos, gestor de Recursos Humanos e diretor de pessoal) e tornou-se colaborador de diversos órgãos de comunicação social – República, Notícias de Lourenço Marques/Maputo, O Diário ou Diário Popular, neste caso participando com mais regularidade na Página Infantil sob a coordenação de José de Lemos. Empenhado na escrita, depois de um prémio de poesia em 1972 seria distinguido, no ano seguinte, como vencedor do concurso de contos que o Diário Popular organizou. O texto ganhador intitulava-se “Tio Jeropiga, Tio Manel Pedreiro, Eu, a Mula Bizarra e Companhia”.

Acabaria por enveredar pela literatura para os mais jovens com obras como “Botão Procura Casa” e “História das Três Janelas” (ambos de 1977), “Na Rua onde Moro” (1981), “O Luxo da Gata Mafalda” (1986), mas também uma série: “Brigada Azul” (publicada entre 2000 e 2002). Pelo meio criara e fora responsável, no Notícias da Amadora, no começo da década de 80, por uma página infantil (Oficina do Tio Lunetas) e também já se dedicara ao romance, como em “A Malta da Rua dos Plátanos” (1981), livro que aqui apresenta, ou “A Cidade dos Lacraus” (1994). Mas também abordara o ensaio com “Literatura para Crianças e Jovens em Portugal” (1998) e “Dicionário de Literatura Infantil Portuguesa” (2002). “Contos do Amor Breve” foi publicado em 2000 e, no mesmo ano, “Rubens e a Companhia do Espanto em O Caso da Mitra Desaparecida” foi agraciado com o Prémio Literário de Sintra – Adolfo Simões Müller, de Literatura Infantojuvenil. De 2005 é o romance “Ensina-me a Namorar” e do ano seguinte a obra “À Sombra das Acácias Vermelhas”. “Ricardo Caiu no Buraco de Ozono” (2008) foi outro título dedicado aos mais jovens e, no mesmo ano, também publicou o romance “A Mulher da Minha Vida”. Em 2010 e 2011 regressou aos romances, respetivamente com “Um Sorriso para a Eternidade” e “O Homem do Buick Azul”. “A Malta da Rua dos Plátanos” foi revisto e reeditado no ano passado.

Book Cover Editora

“Era natural que António tivesse ouvido falar, na fábrica, da preparação de alguma revolta. Os homens é que sabiam dessas coisas das guerras e das revoluções. Por isso iam à tropa”, escreve o autor na obra “A Malta da Rua dos Plátanos”.

Membro da Sociedade Portuguesa de Autores, António Garcia Barreto publica o blog Viagens por Dentro dos Dias que pode ser visto aqui.

(Publicado no blog “Livros LidosLiteratura em Voz Alta a Qualquer Hora“, da responsabilidade de Paulo Pereira)

Ensina-me a Namorar

Um trecho do romance “Ensina-me a Namorar”, de António Garcia Barreto, publicado pela SPA – Sociedade Portuguesa de Autores em formato ebook, possível de encontrar neste endereço:

 

Dia Mundial da Criança

Capa_Frente A Mitra Desaparecida

Esta novela juvenil de aventuras é o meu contributo nas comemorações do
Dia Mundial da Criança 2020.
Prémio Adolfo Simões Müller, 2000, patrocinado pela Câmara Municipal de Sintra.
Edição em papel, na Wook, e em ebook, no Grupo Narrativa.

Ensina-me a Namorar

img_20200430_112509

Edição em ebook (e em papel – print-on-demand) da

SPA – Sociedade Portuguesa de Autores.

Romance em torno da guerra colonial, cujos capítulos são e-mails que os protagonistas trocam entre si. Deste modo se desenvolve o enredo que tem por mote principal a procura, por parte da namorada, de um oficial miliciano mobilizado para a guerra e que a partir de certa altura deixa de enviar notícias, desconhecendo a própria instituição militar o seu paradeiro.

A Malta da Rua dos Plátanos

94678930_965262513943744_4601711824465821696_oA propósito do dia 25 de Abril, excerto do romance “A Malta da Rua dos Plátanos“, de António Garcia Barreto, publicado pela Book Cover Editora.
O relato da “malta”. Memórias do antes e depois de uma data que marcou gerações. A vida como ela era. A vida como se tornou. A ler e reler.

“Rompeu a manhã por entre uma malha de feixes dourados a trespassar as folhas dos plátanos, que tremeluziam embaladas por uma ténue aragem. Um chilreio de pardais na copa das árvores era a sinfonia da rua. O sol procurava infiltrar-se nas ruas húmidas, nos becos mais esconsos, batendo às janelas a acordar os moradores para esse dia que se adivinhava maravilhoso. Sabia bem respirar a aragem tépida daquela manhã de Primavera. Um homem caminhava a passo largo levando nos braços um bebé, para decerto o entregar em casa da ama ou de algum familiar. Na paragem do autocarro uma fila de pessoas aguardava pelo transporte que as levaria ao local de trabalho. Um grupo Continue reading “A Malta da Rua dos Plátanos”

Ensina-me a Namorar

EaNcapa

Capa e contracapa do meu romance “Ensina-me a Namorar” edição em e-book, da SPA – Sociedade Portuguesa de Autores, para leitura digital em computador, tablet, smartphone. Pode ser adquirido seguindo o link. Mais tarde haverá edição em papel (Print-on-demand) através da loja da SPA.