Tudo como dantes quartel-general em Abrantes

Tudo permaneceu sem novidade, sem alteração do status quo, dito de forma irónica.

Napoleão enviou, em 1807, o general Junot para invadir Portugal. Chegado a Abrantes, Junot conquista o castelo, lugar estratégico, e lá se acomoda para preparar o avanço sobre Lisboa. D. João VI tinha enviado um espião para lhe relatar as ocorrências durante os cinco dias em que o general se manteve ocupado na vila. Dia após dia, esse espião informava o rei sempre com a mesma frase: «Tudo como dantes no quartel-general de Abrantes». Ou seja, não havia novidades. Mais tarde, em Março de 1808, em resultado da bem sucedida campanha militar, Napoleão concedeu a Junot o título de Duque de Abrantes.

António Garcia Barreto in “O Povo Faz a Língua”, no prelo