Os pirilampos ou vaga-lumes

pirilampoSegundo se pode ler numa publicação do Greensavers, os pirilampos estão em riscos de desaparecer.  São vários os motivos que a tal podem levar, não estando nenhum deles relacionados com a nossa EDP, a maior fornecedora de energia em Portugal 🙂 . As razões para a sua provável extinção têm a ver com o seu habitat, dado serem muito sensíveis à poluição luminosa e a mudanças de temperatura e de vegetação. Os pesticidas, claro, e a ocupação humana em locais que dantes lhes eram naturais, também contribuem para esse futuro ingrato para esta espécie de insectos.
Lembro-me, em criança, do fascínio que estes insectos exerciam sobre mim e os meus companheiros de brincadeira. A beleza do que é natural vai-se perdendo. Os mais jovens que vivem nas cidades perderam, ou nem chegam a conhecer, essa realidade dos campos e da vida próxima da natureza, o que é lamentável. Tal como aquela história da criança cuja única galinha que vira na sua vida era a dos pacotes de caldos de galinha de uma companhia alemã de alimentos.

Primavera

Primeiro dia de Primavera. Está a cair uma chuva primaveril. O céu está cinzento. O Tejo embrulhou-se num lençol de nevoeiro. Ouve-se o ronco dos grandes barcos a pedir passagem. As ninfas devem estar comodamente sentadas à lareira. As ruas estão desertas. O Parque está fechado. Os cães decidiram aproveitar a chuva para diluírem a urina e não queimarem tanto a relva. Os operários abandonaram os prédios por acabar. Só mesmo os melros e os pombos não desistem de se alimentarem no asfalto das ruas e nos ajardinados. É primavera. Que alegria.

Democracia não é bandalheira

Os médicos são alvo de agressões nos hospitais; os professores e os auxiliares nas escolas. Isto é o Texas dos fora-da-lei? Não há nenhuma autoridade capaz de pôr cobro a isto? E os ministérios respectivos, o que dizem sobre o assunto? E o que fazem? E o senhor primeiro-ministro o que tem a dizer? E os senhores deputados? Há mais vida para além do OE. Ou será que estamos na mão de minorias intocáveis que vivem à sombra do politicamente correto? Não quero pensar que ande tudo em roda livre. Democracia não é bandalheira.

2020 está à porta

Espero que o Ano que aí vem, por sinal bissexto, nos faça melhores. Nos limpe os egos da soberba que os afeta. Sejamos mais humildes e capazes de confraternizar com os nossos iguais, mais sérios nas coisas sérias, não enjeitando nem o diálogo nem o sorriso. Amar sem dar poucochinho, viver pensando também nos outros e na forma de os auxiliar. Ser justos e cordiais procurando a nossa felicidade e a dos que nos rodeiam. Estar mais atentos às alterações climáticas concorrendo para ter um planeta mais saudável, à medida humana. BOM ANO 2020.

(agb)