Advogado do Diabo

Pessoa que defende o contrário do que acredita, ou que defende uma tese que não tem defensores, porque são aparentemente indefensáveis.

A origem da expressão vem da Igreja Católica. Antigamente, nos processos de beatificação, a Igreja nomeava alguém para verificar a verdadeira santidade do candidato a santo. Tentava assim encontrar falhas no processo ou na vida do candidato, objetando contra a sua elevação a santo. Tal tarefa ficava a cargo do advogado do Diabo advocatus diaboli, oposto ao advogado de Deus advocatus dei. Existe um romance do escritor australiano Morris West intitulado «O Advogado do Diabo», publicado em 1959, que foi adaptado ao cinema, em 1977, com o mesmo título e protagonizado pelo ator Al Pacino.

Verbete do livro de António Garcia BarretoO Povo Faz a Língua” (registado no IGAC – Inspeção-Geral das Atividades Culturais)