A democracia

A democracia não é extensível a extremismos. O mesmo é dizer: a democracia não é paracropped-eu-e-o-bolo todos. A democracia não pode pactuar com quem se serve dela para impor regimes totalitários, ou musculados, de pensamento único, e depois se perpetuar no poder. Ora esta situação começa a tomar aspetos perigosos. A permissividade de democratas frouxos, que apenas pensam em termos do politicamente correto e dos seus interesses pessoais, mesquinhos, de sobrevivência política, abre as portas ao cavalo de Tróia que invadirá a democracia para assim a transformar em ditadura. Todos os alertas não serão demais. Todas as ações conducentes a barrar o extremismo são atos de defesa da democracia. Para que todos possamos respirar, falar e viver sem a sombra do medo a perseguir-nos, a matar-nos, se preciso for. Não é para amanhã. É para hoje.

António Garcia Barreto