O Covid-19 e o futuro

O Covid-19 vai ficar na História não só como uma pandemia mais ou menos devastadora de vidas humanas, mas como uma espécie de III Guerra Mundial que destruiu a economia, arrasou projetos, empobreceu ainda mais os mais pobres, roubando-lhes o direito ao pleno emprego, a uma vida singela, mas feliz, enquanto protegeu gente corrupta, que sempre escapa ou prospera nestas épocas de crise (e já houve tantas e tantas). Não existirão políticos com uma visão capaz de perceber e aproveitar este tempo de pandemia para estudar/imaginar novos futuros, mais perto do ser humano, das suas necessidades e direitos, mais perto da Natureza – uma vivência menos frívola, fútil. Porque os políticos estarão sempre nas mãos dos poderosos e dos oportunistas. E não sendo todos iguais, os menos iguais não terão força para derrotar os mais iguais. Aguardem pelo novo futuro, que poderá começar já daqui a dois ou três meses. Quanto mais tempo demorar a quebrar a pandemia mais difícil será esse futuro. Nós, portugueses, que começávamos a ver uma luz ao fundo do túnel, que futuro nos estará guardado? Possivelmente, a UE levará um arrombo. A China continuará a crescer porque os gestores das riquezas entenderam há muito que sendo lá a mão-de-obra mais barata era lá que o desenvolvimento das indústrias periféricas, mas não só, se devia desenrolar. A ver vamos.

Autor: António Garcia Barreto

Um tipo à procura de palavras para escrever frases que falem de coisas inúteis.