Plátanos

Os plátanos são árvores do género Platanus e da família Platanacae de folhas palmilobadas cujas flores são uns globos verdes do tamanho aproximado de uma bola de golfe. Chegam a atingir os 50 metros de altura. À medida que crescem e os troncos engrossam, crescem também os ramos com folhas largas produzindo uma sombra agradável no verão. É uma árvore de folha caduca, pelo que, a partir do outono as folhas amarelecem, como as das videiras, e caem, deixando a árvore despida durante todo o inverno. Os plátanos são as árvores da minha infância por várias razões, que não vêm agora ao caso (ou virão?). Sempre gostei do seu porte altivo e dessas flores em formato de pequena bola que serviam, na minha meninice, ainda longe de equipamentos como a televisão, o computador e o telemóvel, que passariam a captar a atenção de miúdos e graúdos; pequenas bolas que serviam, dizia eu, para jogar hóquei no asfalto das ruas com stiques improvisados pela imaginação dos rapazes — a Malta da Rua dos Plátanos. Foi um pouco por causa da beleza e aconchego dessas árvores da minha rua, da infância que tive e dos amigos com quem convivi, que um dia publiquei um livro (entre muitos outros), que agora teve nova edição, revista, e que espero possa ser do agrado de muitos leitores. A sua tradução em russo, em 1983, teve uma tiragem de cem mil exemplares, numa editora já desaparecida: a Ráduga. E também nela aparecem as folhas dos plátanos.

Esta nova edição do livro pode ser adquirida nas livrarias e também online, em diversos sites: BOOK COVER (a editora), WOOK, BERTRAND, FNAC, ANA MONTEIRO (a agente literária), etc.