Livros inesquecíveis, esquecidos: “Os Exércitos de Paluzie”

IMG_1090Soldados de Papel

Tenho couraceiros cabeças redondas, «Homens de Deus» de Cromwell dobrando, audazes, o sangue azul em Marston Moor e acabando por decapitar Carlos I por resistir ao progresso. Edmond dizia que os cabeças-redondas eram uns filhos da mãe, mas eu estou-me nas tintas. Ficavam muito bem, com os seus elmos onde para lá caber a cabeça tinham de cortar o cabelo. E podem organizar-se bonitas formações com eles. Também há cossacos brancos de Koltchak com chapcas pretas de astracã, galopando pelas estepes vastas até ao assalto final vitorioso dos Guardas Vermelhos e descalços em Perekop.

(…)

Entrada inicial do romance «Os Exércitos de Paluzie», 1982, de Manuel de Seabra. (Recomendado pelo júri do Prémio literário Círculo de Leitores)