Romance da Raposa

Obra para crianças da autoria de Aquilino Ribeiro publicada no Natal de 1924, pela Aillaud & Bertrand, com ilustrações de Benjamim Rabier, e dedicada a seu filho Aníbal. Inspirando-se no fabulário universal, que desde Esopo se foi acrescentando na história literária dos povos, Aquilo Ribeiro construiu uma obra portentosa, só possível de escrever graças ao seu talento literário. Trata-se, resumindo, e utilizando as palavras e o vocabulário do escritor, da história da «raposa Salta-Pocinhas, raposeta, pintalegreta, senhora de muita treta… raposeta matreira, fagueira, lambisqueira» e das suas aventuras maravilhosas. A Salta-Pocinhas vai levando tudo e todos de vencida graças à sua astúcia e às trapaças que vai fazendo, sem se importar se é bem ou mal. Aliás, Aquilo Ribeiro adverte logo o filho – e o leitor, naturalmente – que ali não está em causa o Bem ou o Mal, que são conceitos que os animais não conhecem. Não existem lições de moral e o livro é um prodígio de graça e ironia, sustentadas pela linguagem forte e variada do escritor. Verdadeira literatura, ao nível dos melhores autores universais.

in Dicionário de Literatura Infantil Portuguesa, de António Garcia Barreto, Campo das Letras, Porto, 2002