Somos bons

Se lermos os jornais e acompanharmos os outros media, é fácil constatar que se está a generalizar a ideia de que agora, o país, nós, os portugueses, somos bons em tudo. Ou quase tudo. Desde o turismo, à segurança interna, ao futebol, à investigação, etc. Ainda agora li que “a democracia portuguesa é a 10.º melhor do mundo”. Confesso que isto me agrada, como deve agradar ao ego de qualquer português que se preza de o ser. A única coisa que me deixa de sobreaviso é essa dinâmica tão nossa de conseguirmos atingir o pico da montanha com a mesma facilidade com que, logo a seguir, damos um trambolhão que nos remete ao lugar anterior. A História mostra-nos como temos tido uma vocação de iô-iô, ora em cima, ora em baixo.

Devíamos continuar a aperfeiçoar as boas práticas para nos mantermos no topo (embora com naturais oscilações mínimas), fazendo disso o nosso objectivo nacional. A qualidade dos cidadãos e a qualidade dos políticos têm uma importância determinante no atingir desse objectivo. E a Cultura e a Educação são fundamentais. De outro modo, acabamos por assumir, definitivamente, a vocação de iô-iô.

One thought on “Somos bons

Os comentários estão fechados.