Noivado

Estendeu os braços carinhosamente e avançou, de mãos abertas e cheias de ternura.

– És tu Ernesto, meu amor?

Não era. Era o Bernardo.

Isso não os impediu de terem muitos meninos e não serem felizes.

É o que faz a miopia.

Mário-Henrique Leiria, “Contos do GinTonic”

Autor: António Garcia Barreto

Um tipo à procura de palavras para escrever frases que falem de coisas inúteis.

Um pensamento em “Noivado”

Os comentários estão fechados.