Lombas e rotundas

Num país de lombas e rotundas – a obra emblemática dos nossos autarcas – os automobilistas passam a vida aos pulos e a andar à roda. É recreio em nome da segurança. Porque quando eu acabo de passar duas lombas seguidas numa rua direita e entro noutra a descer, num dia ventoso, e vejo um contentor de lixo passar à minha frente em acelerada velocidade, obrigando-me a uma travagem de emergência, isto já não é recreio. É insegurança sem lombas. O contendor devia estar travado em espaço próprio. E as lombas anteriores não fazem lá falta nenhuma.

Autor: António Garcia Barreto

Um tipo à procura de palavras para escrever frases que falem de coisas inúteis.