Momento político-económico

dd

O momento político-económico assinala-se pelo trabalho dos gestores de empresas portuguesas em colocá-las a jeito para serem adquiridas pelo capital chinês, no todo ou em parte. É um grande esforço patriótico. (Patriotismo? Bahhh! Não está na moda). Os clubes de futebol, todos eles muito bem geridos, também começam a ser alvo do capital chinês (à semelhança do que acontece em Inglaterra e outros países europeus. Viva a União Europeia de Funcionários Bem Pagos!) O Aves e o Tondela já foram fisgados (provavelmente, haverá outros), pelo que ouvi dizer a quem sabe do assunto. Será que o Bruno Carvalho também está a colocar o clube a jeito para ser adquirido por um imperador chinês? (E eles são tantos.) A TAP vai muito bem com os brasileiros, mas já começam a pedir ao governo que injecte uns milhares de euros na coisa. Bom, cambada jovem, preparem-se para aprender mandarim e servirem os vossos futuros amos de olhos em bico. Já aqui tivemos o Império Romano a dar ordens, o Muçulmano, o Espanhol, agora vem aí o Chinês. Para não falar do Império Alemão e Americano que estão em todo o lado, democraticamente.

Mas o que é que isso interessa? Sai uma bejeca e uma bifana aqui para a mesa do canto.