O livro, esse mal amado

Abre-se um jornal online português na secção de Cultura e não se encontra nada, ou quase nada, sobre livros, escritores, edições, etc. O que se encontra é música, festival da canção (extremamente cultural), cinema, actores, moda, vidas… Isto diz bem do interesse cultural de um país que não lê, porque ler dá trabalho. Não entra pelos olhos dentro nem pelos ouvidos: é preciso digerir a leitura. E para digerir a leitura é preciso ter capacidade de ler e de interpretar o que se lê. Certamente, este novo jornalismo, voz do dono, é da responsabilidade de jornalistas que ninguém estimulou para o interesse da leitura. Não é apenas lamentável, é triste e de consequências futuras fáceis de prever. Da parte do Ministério da Cultura não se dá por nenhuma campanha de apoio ao livro e à leitura. Ficamos assim.