Abertura de obra

Mesmo numa rua pobre, onde as casas são velhas, a vida monótona e a gente triste, pode acontecer que nela desponte a alegria. Mas, então, as pessoas estranham e fazem comentários; e foi por isso que a vizinhança se alvoroçou quando deu com Florinda a cantar e a dançar pela casa fora, toda a manhã, meio doida; a mãe pôs-se a magicar no que teria sucedido para essa brusca mudança, e a Sra. Leocádia, que ouvira o despropósito da rapariga, correu a prevenir a peixeira que Florinda parecia destramelada e que alguém deveria acautelar os pais: as grandes doenças começam assim.

(…)

Fernando Namora in “As Sete Partidas do Mundo”