CÃOPRAIA

Comprei duas talhadas de verão

para me estirar ao sol

na praia do Torreão

 

Havia gente de todas as cores

somos um país colorido

Mas há coisas que não

fazem sentido

 

Besuntar o cão com óleo de açafrão

e vestir-lhe fato de banho

de cor amarelo-limão

não lembra ao mais folgazão 

 

Ó madame, o cão não precisa

de praia   Deixe-o andar à gandaia

ser feliz sem trela

nem cueca amarela

 

A praia não é para cães

mas para filhos e mães

para mostrar a tatuagem

o peito ilustre lusitano

o corpo escorrido, a pança

que balança, a bela pernoca

e para tomar uma banhoca.

 

ANTÓNIO GARCIA BARRETO