Lisboa é dos turistas

Acabo de ler nos jornais que vão encerrar um alfarrabista e um antiquário na Rua do Alecrim. A cidade vai ficar para os turistas. Tudo será transformado em hotéis, restaurantes, bares e cafés com esplanadas. Assim como as grandes e históricas empresas do país vão paulatinamente ficando na mão dos conglomerados económicos estrangeiros, a cidade vai ficando nas mãos dos turistas e das grandes cadeias de lojas internacionais, que abrirão franchisados onde antes havia livros, arte, cultura. Os lisboetas deixarão de habitar a sua cidade, procurando a periferia. As empresas e os bancos deixarão o centro histórico. Lisboa mostrará um rosto que não é o seu, numa espécie de cirurgia estética que lhe mudará o rosto. Não desesperemos, no entanto. Os políticos estarão atentos e saberão fazer pior.