Os blogs, hoje

Regressei agora ao SAPO Blogs, depois de ter usado outras plataformas. Com o aparecimento das redes sociais mais conhecidas, os blogs perderam influência. Não só perderam influência como um certo estatuto de qualidade e até de utilidade para quem os lia. Na era das mensagens, do twitter, dos telemóveis, ninguém parece ter muita paciência para textos mais ou menos longos. Para escrevê-los e para lê-los. O SAPO Blogs é a plataforma indicada para os portugueses, pelo relacionamento mais fácil em quem escreve em português europeu. Aquilo que mais me tem chamado a atenção, agora, é a predominância de blogs escritos por mulheres. Parece-me ser a esmagadora maioria, quando no início eram mais os homens (jornalistas, escritores, poetas, políticos) que assinavam blogs, havendo – e ainda existem alguns – blogs colectivos.

O que se passa hoje em dia inscreve-se no avanço da mulher na sociedade, aproveitando a letargia do género masculino. É certo que muitos blogs focavam exclusivamente questões políticas, porque tudo era político. Agora parece que andamos todos cansados e até defraudados com a política e os seus representantes, e os blogs sobrevivem mais de experiências de viagens, de fotografia, de temáticas próximas da mulher de hoje. Da parte dos homens nota-se um abrandamento de participação em relação ao passado, conquanto permaneçam ainda alguns dinossauros desta “arte” de comunicar experiências e conhecimentos pessoais com os outros. Diga-se, em abono da verdade, que os blogs têm muito mais interesse como rede social, pelo aprofundamento das questões que abordam, do que a charada do Facebook e do seu agora afiliado, o Instagram, com as fotografias. Um caso diferente é o do Twitter.