Balada

o alfa geme nas curvas santarém fica pra trás

ó louro dá cá o pénis o alfa trava e mete

a bordo a urraca ela pede um cigarro

ao ex-latifundiário o alfa arranca

coxa-e-anca a urraca acende o cigarro

com o mamilo ah ah diz o ex-latifundiário

último orangotango dos arredores de paris

põe a mão aqui querida aqui

enquanto o alfa que até conhece o caminho pra casa

voa para lisboa com leonor ou joaninha

frescura de olhos verdes bordadeira de estradas

a pensar que a revolução consome muito mais cigarros

do que aqueles que produz

 

Alexandre O’Neill in “Tomai lá do O’NEILL”